1.27.2012

Homus e uma volta pelo centro de SP


Hoje foi um dia bem cheio, acordei cedo e fui à 25 de março comprar os materiais de escola para meu filho mais novo. Dia chuvoso, loja lotada e muita sacola para carregar. Para relaxar, fui à Liberdade comprar uns ingredientes que acabaram na minha casa: Shoyu, Wasabi, Umeboshi. Apreveitei uma oferta para comprar pasta de Tamarindo, muito usada na culinária Thai, um dia eu pego uma receita e divido aqui no blog. Daí lembrei do restaurante macrobiótico delicioso que nunca mais fui. Merece até um parágrafo novo.

O restaurante se chama Satori, mas é conhecido por Kikuchi. Fica na sobreloja de um prediozinho velho bem no finzinho da av. liberdade, meio escondido. Lá tem para vender um monte de produtos próprios, sem data de validade, sem muita regulamentação: sal marinho, shoyu, tahine, arroz integral cateto (cheio de caruncho: dizem lá que quando mais, melhor é o sabor do arroz), gersal e outras coisinhas. Todos são muito bem feitos e gostosos. Um problema verdadeiro, é a cozinha. É aberta e algumas cozinheiras fazem a comida como se tivessem em casa, sem as frescuras higiênicas dos restaurantes hoje em dia. A senhora que enrola o bolinho de vez em quando dá uma coçadinha no nariz; a moça que arruma os alimentos nos pratos dá uma experimentadinha na comida; o homem do caixa entra na cozinha para falar alguma coisa, sem colocar touca ou lavar as mãos e por aí vai. Se você realmente tem problemas com a higiene, não consegue comer ali. Uma vez aquela senhora que enrola bolinhos serviu um cliente levando a tigela de sopa até ele, que informou não aceitar sopa com dedo. Ela ainda se ofendeu. Mas enfim, a comida é muito bem feita, delicada e saborosíssima.

Aproveitei a visita e comprei o Tahine do Satori para fazer Homus em casa. A receita é bem simples, desde que você tenha um processador ou paciência com o liquidificador.
Essa receita é uma dica. Há quem prefira com menos ou mais limão, ou tahine, ou alho, ou queira incrementar com pimenta síria. Se quiser, pode também tirar a casca do grão de bico. Eu fui experimentando enquanto batia, até ficar ao meu gosto.




250g de grão de bico
Suco de 1 limão
3 colheres (sopa) de tahine
3 dentes de alho
Sal, quanto baste


  • Deixe o grão de bico de molho na véspera. Cozinhe na pressão até ficar mole. Coe os grãos mas guarde o líquido do cozimento.
  • Bata no processador com o restante dos ingredientes. Se ficar muito seco, junte um pouco do líquido separado, de colher em colher.
  • Pronto! Sirva com salsinha, azeite, limão, pão sírio, torradas, o que achar melhor.