12.26.2013

Pavlova de chocolate da Nigella

Esse doce já tem história comigo. Provei a primeira vez na casa de uma conhecida e amei: ela faz doces muito bem. Perguntei o que era, como fazia, mas infelizmente não é todo mundo que tem disposição para passar pra frente seus conhecimentos, como as blogueiras e blogueiros que dividem com todos. Incluindo eu (ó a modéstia aí, geeente!). Então nem o nome ela passou pra mim. Disse que era um merengue que só ia clara e açúcar.

Enfim. Procurei pela net com nome de merengue e nada parecia com aquele doce crocante por fora e macio por dentro. Daí um belo dia, vi um programa da Nigella (lindíssima) e lá estava o bendito: Pavlova. Fiquei super feliz, resolvi fazer e ainda anuncie no facebook: "galera, vou fazer pavlova!". Recebi muito comentários, pedidos de fotos e... foi um desastre. A temperatura mínima do meu forno é muito quente e o merengue virou uma pasta achatada, escura e com consistência de puxa-puxa. Fiquei arrasada. Isso faz mais de um ano.

Ontem de manhã, acordei e deu a louca. Vou tentar de novo! Tinha claras congeladas por conta de uma fornada de quindins, tinha todos os ingredientes e o mais importante: coragem para superar uma frustração. Fiz e deu certo! Foi a sobremesa do almoço de natal.

Pavlova foi inventado em um hotel por um chef em homenagem à bailarina russa Ana Pavlova, na época de sua hospedagem. Agora o mais legal: em um hotel na Nova Zelândia ou na Austrália, há uma discussão entre os países, ambos reivindicam a invenção desse doce. Eu achava que era russo.

É crocante e quebradiço por fora, macio e delicado por dentro. Os mirtilos congelados surpreendem pelo frescor e sabor tão incomum por essas bandas. E o chantili completa suavizando a textura e contrastando com sua brancura profunda.
Os morangos também estavam congelados e ficaram deliciosos, além de contribuir com sua cor maravilhosa.

Ingredientes:
6 claras
250g de açúcar
3 colheres (sopa) de chocolate em pó (pelamordedeus, fuja do achocolatado!!)
1 colher (chá de vinagre balsâmico ou de vinho tinto
50g de chocolate amargo bem picado.
500ml de creme de leite fresco
mirtilos congelados
raspas de chocolate para enfeitar. No meu caso, foram granulados pois eu esqueci do chocolate.


  • Preaqueça o forno a 180°C.
  • Na batedeira, bata as claras até formar picos firmes.
  • Sem parar de bater, junte o açúcar aos poucos, de colher em colher até que o merengue esteja firme e brilhante.


  • Retire na batedeira, acrescente o chocolate em pó, o chocolate em pedaços e o vinagre. Misture gentilmente até o merengue ficar uniforme.


  • Transfira para uma assadeira forrada com papel manteiga, formando um círculo alto de mais  ou menos 20cm. Você pode desenhar o círculo no papel manteiga para facilitar. Alise as laterais e a parte de cima. 
  • Leve ao forno e imediatamente diminua a temperatura para 150°C.
  • Asse por cerca de 1 hora a 1h15. Desligue o forno, e deixe o merengue dentro com a porta entreaberta até esfriar.
  • Na hora de servir, transfira com muito cuidado o merengue para um prato. Delicadeza é a palavra chave pois senão a casquinha esmigalha.
  • Bata o creme de leite até virar chantili (cuidado para não bater demais e virar manteiga!) e espalhe por cima do merengue. Distribua harmoniosamente os mirtilos por cima do chantili e espalhe o chocolate em raspas.


Observações importantes:

  • O forno precisa estar em temperatura baixa, senão o merengue leva um susto e murcha como aconteceu comigo na primeira vez. 
  • Não balance demais o merengue antes de ir ao forno pq senão ele perde o ar e murcha.
  • O merengue sai do forno craquelado, não se assuste. Deu certo. 
Pode mudar as frutas, é comum usar framboesas, lascas de amêndoas, maracujá ou qualquer uma que você tiver vontade.

Essa receita é uma adaptação do livro Nigella Verão - Receitas leves e deliciosas para o ano todo.

É isso aí. Qualquer dúvida, escreva para mim. Comente se gostou, se não gostou também, deixe sua impressão.